sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Dicas de como aumentar a hemoglobina.

 

A hemoglobina é uma proteína encontrada no sangue, cujas principais funções são transportar o oxigênio dos pulmões para as células de todo o corpo e o transporte de dióxido de carbono para os pulmões para a eliminação. Ela também é responsável pela cor vermelha do nosso sangue.
Suas funções são muito importantes para o nosso corpo, por isso, vamos conhecer um pouco mais sobre elas e também como aumentar a hemoglobina, se a mesma estiver em deficiência.

A importância da hemoglobina

A falta de hemoglobina no sangue é uma condição sofrida por muitas pessoas em todo o mundo, conhecida como anemia, que é detectado através de um simples exame de sangue que mede a quantidade de glóbulos vermelhos.

O oxigênio é um elemento essencial para o corpo e responsável pelo processo químico pelo qual a glicose é convertida em energia para o organismo. De modo geral, aqueles que sofrem de anemia, se sentem muito esgotados, sofrem de tonturas, dificuldade respiração, fraqueza muscular, entre outros sintomas. Em casos graves, pode haver mau funcionamento de órgãos e à falta de cor na pele. Se está com algum destes sintomas, deve consultar um médico.

Em casos normais, a anemia é fácil de se reverter, tendo uma dieta adequada, consumo de certos alimentos que ajudam a aumentar os níveis de hemoglobina naturalmente. Em casos mais graves, o médico pode indicar a medicação necessária para aumentar a hemoglobina.

Vejamos agora algumas dicas para aumentar a hemoglobina naturalmente.

Como aumentar a hemoglobina naturalmente

Normalmente, a falta de hemoglobina no sangue é devido à deficiência de ferro, causada por problemas nutricionais, de modo que a solução reside no consumo de alimentos ricos em ferro, que favorece especialmente o aumento da hemoglobina.

Carne vermelha

As carnes vermelhas tendem a ser as mais adequadas para aumentar rapidamente os níveis de hemoglobina. Podemos comer todos os tipos de cortes, mas é especialmente o fígado, que tem propriedades superiores.

Aumentar o ferro

Muitos dos alimentos que comemos todos os dias contêm altos níveis de ferro, por exemplo, os ovos, espinafre, agrião, leguminosas (especialmente lentilhas), brócolis, nozes, sementes de abóbora, soja e seus derivados, ajudam a aumentar os níveis de hemoglobina.

Comer alimentos ricos em vitamina C (frutas cítricas) ajuda o corpo a absorver o ferro de forma mais eficaz.

Frutas vermelhas

As frutas vermelhas também ajudam a aumentar os níveis de hemoglobina. Elas são amoras, morangos, mirtilos, entre outras. Melancia, tâmaras secas e romãs também favorecem o aumento de ferro no sangue.

Evitar certos alimentos

Para restaurar os níveis normais de hemoglobina devemos evitar alguns alimentos que não favorecem a absorção de ferro, tais como café, leite e seus derivados.

De qualquer forma você deve sempre consultar seu médico antes de iniciar qualquer tratamento para aumentar a hemoglobina, seja natural ou a base de medicamentos, já que esse problema pode ocorrer não por causa da falta de ferro, mas pode ser devido a uma outra condição que deve ser tratado por um especialista.

Mais informações
A hemoglobina é realmente uma substância muito importante para nosso organismo, se você acha que pode estar com déficit dessa substância, ou com anemia, o melhor é procurar ajuda médica o quanto antes.

Em todo caso, se você for diagnosticado com anemia ferropriva, além das recomendações de seu médico, temos várias matérias que tratam do assunto e podem te ajudar no tratamento da anemia.

Fonte: http://dicassobresaude.com/dicas-de-como-aumentar-a-hemoglobina/

8 remédios para a tosse seca!

 


Leite com mel

O leite com mel é um remédio para a tosse seca muito comum, mas é preciso estar ficar atento quanto a temperatura do leite, pois as comidas e bebidas quentes podem irritar a garganta.

Sopa de galinha

A sopa de galinha também é um remédio excelente para a tosse seca, se você colocar um pouco de gengibre e alho vai melhorar ainda mais os benefícios, pois irá reforçar o seu sistema imunológico.

Pimenta picante

Misture duas colheres de sopa de limão com mel e adicione uma pitada de pimenta picante para obter um dos melhores remédios caseiros para a tosse seca.

Xarope de rabanetes

Para preparar esta receita de remédio caseiro para a tosse seca, corte em um liquidificador 10 rabanetes em adicione um copo de suco de limão e metade de um copo de água, coe e adicione 8 gotas de mel, e finalmente, toda a mistura é fervida por meia hora. Com 3 colheres de sopa por dia a tosse irá embora.

Xarope caseiro

É um dos remédios caseiros para a tosse seca que melhora bastante. Misture a camomila, o limão, cravo e ferva os ingredientes por 3 minutos. Depois deixe de molho por 5 minutos e coe. O toque final é misturar com mel e suco de limão. Tome 2 colheres de sopa 3 vezes por dia.

Marshmallow

Pegue um punhado de Marshmallow e um copo de leite e espere derreter, coma-os antes de dormir.

Chocolate preto

O chocolate amargo contém um composto que alivia a tosse melhor do que alguns remédios. Dois pedaços de chocolate preto para adultos e um para as crianças será um dos remédios mais excelentes para tosse seca.
Por último, mas não menos importante, você vai aprender a preparar um remédio caseiro para a tosse seca super eficaz.

Remédio caseiro para tosse seca com hortelã

Um ótimo remédio caseiro para tosse seca é tomar o chá de hortelã porque esta planta medicinal possui propriedade antisséptica, tranquilizante suave e analgésica, principalmente a nível local e das mucosas do aparelho digestivo.

Ingredientes

1 colher (de chá) de folhas secas ou frescas de hortelã
1 xícara de água fervente
mel à gosto para adoçar

Modo de preparo

Adicionar as folhas de hortelã picadas na xícara de água fervente e deixar repousar por 5 minutos. Coar e beber a seguir, adoçado com mel.
Mais informações
As causas da tosse seca persistente pode ser, por exemplo alergia à poeira, ao pelo de animais domésticos, ao pólen das flores ou algumas árvores, refluxo gastroesofágicos e até mesmo problemas cardíacos.
Em todo caso, o melhor é procurar ajuda médica para saber a real causa desse problema e realizar o tratamento mais indicado.

Fonte? http://dicassobresaude.com/8-remedios-para-a-tosse-seca/


Usos e benefícios do óleo essencial de pinho para a saúde.





Há uma boa razão para que muitos produtos de limpeza serem feitos com aroma de pinho. Esta conexão do óleo essencial de pinho e uma boa saúde é bastante antiga, e está relacionada com suas propriedades desinfetantes que atacam germes. Na verdade, esse óleo foi reverenciado pelo pai da medicina ocidental, Hipócrates, que salientou o seu forte efeito curativo sobre o sistema respiratório humano. Da mesma forma, povos antigos usavam casca de pinheiro sobre as camas para evitar percevejos e piolhos.


O óleo essencial de pinho, é obtido pela extração de óleos essenciais a partir de espinhos e lascas do tronco de pinheiro. O extrato de pinho é anti-séptico, anti-microbiano, anti-bacteriano, inseticida, diurético, analgésico, aromático e anti-inflamatório.

Benefícios do óleo essencial de pinho

Sua capacidade de desinfecção está relacionada com seus elevados níveis de ácidos fenólicos, substâncias químicas de plantas que combatem os germes e previnem doenças. Tem também um efeito curativo sobre o sistema endócrino e ajuda o organismo na limpeza de impurezas da pele.

1 – Poderoso anti-inflamatório

Por causa de suas potentes propriedades analgésicas, o óleo essencial de pinho atua como um anti-inflamatório para as pessoas com dor nas articulações, artrite e reumatismo. Usado topicamente, ele também pode ajudar a aliviar dores musculares gerais. Adicione-o a um banho quente ou faça massagens com o óleo diluído no local dolorido para ter um efeito calmante.

2 – Expectorante

O óleo essencial de pinho também pode ajudar a aliviar o congestionamento e agir como um expectorante, ajudando o organismo a remover o muco dos pulmões.

3 – Cuidados com a pele

Este óleo pode ser útil para tratar uma variedade de doenças da pele devido às suas fortes capacidades anti-sépticas. Entre os problemas de pele que podem ser curados inclui a psoríase, acne, furúnculos, pé de atleta, prurido e eczema. Ele deve ser aplicado topicamente, mas também pode ser usado como um remédio no couro cabeludo, especialmente nos casos de caspa. Para ser usado na pele é preciso diluir o óleo, não use-o puro sobre a pele.

4 – Atua como um agente anti-viral

O óleo de pinho também pode ajudar a proteger contra o resfriado comum e gripe. Uma dieta equilibrada e aumento do consumo de alimentos ricos em vitamina C também é uma boa maneira de prevenir resfriados.

5 – Capacidade antioxidante

Através de neutralização dos radicais livres, o óleo de pinho nos ajuda a abrandar o processo de deterioração celular, retardando assim o processo de envelhecimento. Os antioxidantes ajudam a proteger contra doenças oculares, degeneração macular, e muitas desordens do sistema nervoso.

6- Propriedades anti-fúngicas e anti-bacterianas

Com o uso regular, o óleo de pinho pode ajudar a proteger contra muitos tipos de infecções fúngicas. Ele também tem propriedades anti-bacterianas. Este óleo essencial pode ajudar a prevenir infecções bacterianas comuns, incluindo infecções do trato urinário e infecções da pele.

7 – Aromaterapia

Através da aromaterapia, estimula o corpo e a mente, e tem um efeito energético sobre a pessoa em geral. É usado também para ajudar no tratamento da fadiga adrenal e depressão leve.

8 – Desinfetante

É um grande agente de limpeza, e pode ser adicionado a borrifadores de ambientes (bom ar) e purificadores de ar. O óleo de pinho provou ser um desinfetante muito eficaz para matar germes, incluindo mofo, fungos e bactérias como escherichia coli.

9 – Tratar infecções respiratórias

Estudos têm demonstrado a utilidade do óleo essencial de pinho em infecções brônquicas. Por ser um poderoso agente antibacteriano e anti-séptico, pode ajudar ao corpo lutar contra infecções em geral. A aromaterapia, pode ser usada para ajudar a prevenir as infecções respiratórias, como bronquite.
Uma pesquisa realizada pela Universidade de Maryland Medical Center (EUA), demonstrou que a sua utilização para infecções do trato respiratório é muito eficaz. A pesquisa também mostra que o uso do óleo essencial de pinho pode combater resfriados quando usado como inalação a vapor.

Precauções e efeitos colaterais do óleo de pinho

O óleo essencial de pinho deve ser usado com cuidado, pois é muito forte. Se usado sem ser diluído pode irritar a pele e as mucosas. O consumo interno pode ser perigoso para a saúde humana e deve ser evitado.

Modo de usar

Existem várias formas de usar este óleo para favorecer a saúde. Para tratar problemas respiratórios tente adicionar de 4 a 6 gotas de óleo essencial de pinho não diluído para aquecer na água do banho ou dilua 50/50 com óleo de coco orgânico ou azeite de oliva e aplique no peito para aliviar a dificuldade respiratória. Você também pode colocá-lo num difusor de aroma para aromaterapia. Ou fazer inalações a vapor.

Fonte: http://dicassobresaude.com/usos-e-beneficios-do-oleo-essencial-de-pinho-para-a-saude/

Presentinhos Aromáticos - Ideias para o Natal!


Fim de ano é tudo de bom! Festas, comemorações, reunião com a família e os amigos! Mas, como sempre, muitos ainda se perguntam “o que dar de presente?”.
Eu, particularmente, acho muito difícil presentear as pessoas, acertar o gosto e tal... Então, procuro pensar sempre em algo que todo mundo gosta, mas ao mesmo tempo também não quero cair na mesmice. Sendo assim, que tal um presentinho aromático? São simples, bonitos, úteis e cheirosos!

Aproveitem as dicas e experimentem!


Potpourri (sache, pote ou mini-travesseiros)
(Por Decora.do)
Potpourri de frutas e sementes secas
Pot pourri é uma mistura de flores, frutas e folhas secas que, além de deixar o ambiente cheiroso e colorido, funciona também como um objeto natural de decoração. No potpourri, é possível fazer uma verdadeira mistura de cores e aromas, como também trabalhar com combinações de cores únicas – tudo depende da decoração principal do seu cantinho e do seu gosto pessoal.Você pode presenteá-los em saquinhos (sachê), em potes ou ainda, confeccionar mini travesseiros.


Sachês de alecrim
Para quem está em busca de uma mistura mais olfativa do que visual, as melhores opções incluem rosas, damasco, lavanda, camomila, verbena, narciso, cravo, violetas, mimosa, laranja, jasmim, verbena, gerânio, limão siciliano, alecrim, erva-cidreira, louro, bergamota e sálvia. As opções são muitas e o legal é arriscar as suas preferidas, para ver qual tem mais a ver com os ambientes da sua casa.


Material necessário:
* Flores, folhas e ervas secas.
* Especiarias como canela, gengibre e baunilha.
* Frutas secas, preferencialmente laranja ou limão.
* Óleos essenciais de sua preferência.

Como fazer:
É simples – misture tudo! Depois, você pode deixar num recipiente aberto, colocar em potes de vidro e também mini-travesseiros, saquinhos decorativos ou de tecido. Vale para o banheiro, a sala de estar, o lavabo e até mesmo para o quarto ou escritório.
Para ficar ainda mais especial, tente combinar as cores dos itens com a decoração do ambiente que você escolheu.
A quantidade de óleos essenciais vai depender da quantidade de ervas que você vai utilizar. Mas não exagere, senão você acaba desperdiçando óleo e ainda corre o risco de deixar o aroma enjoativo ou as ervas oleosas! Inclua os óleos essenciais aos poucos e misture bem. 


Sais de banho
(Por Aromaflora)
Sais aromáticos
Você vai precisar de 1 xícara de sal marinho e 5~10 gotas de óleo essencial.
Defina primeiramente que propriedade vai agregar aos sais de banho: relaxante, estimulante, sensual...
A seguir, escolha o seu óleo essencial, pingue as gotas sobre o sal marinho e misture muito bem.
Você pode fazer isso, misturando-os em uma tigela de louça ou inox com uma colher ou batedor, ou sacudindo-os em um saco fechado. 
Coloque a mistura em um recipiente de vidro e deixe descansar durante 5 a 7 dias para que o óleo essencial seja bem incorporado ao sal.
Coloque em um vidro com tampa e decore com fitas ou sisal.




Aromatizadores ambientais naturais
(Por The Yummy Life)


Estes aromatizadores fazem o maior sucesso! Foram postadas neste blog as receitas completas. Veja o passo a passo aqui.
Podem ser feitos em vidros grandes, para esquentar o conteúdo na panela ou em vidros pequenos para aquecer em difusores à vela, como este da foto do blog Casa, Coisas e Sabores:



Aroma de Cafezinho
(Por Decoração Fácil)
Basta colocar grãos de café em um recipiente de porcelana ou vidro e acomodar uma pequena vela com base de alumínio no centro.
Assim que acender a vela o café receberá o calor da chama e, através do aquecimento dos grãos de café, estes começarão a espalhar em sua casa um aroma irresistível.



Velas aromáticas de soja (sem parafina!)
(Por Como Fazer Tudo)
Esta receitinha é um pouco mais trabalhosa, mas vale a pena experimentar!

Primeiro, você precisa reunir os materiais. Os seguintes farão uma vela de 510 gramas ou até mais velas, se optar por formatos menores.
* 510g de flocos de cera de soja (sugestão: EcoSoy Advanced);
* Recipiente de vidro de 510g ou menores, para as velas;
* Pavios de algodão;
* 30 ml de óleo essencial;
* Corante líquido;
* Um recipiente ou jarra de vidro (que possa ir ao microondas)  que caiba pelo menos 650 ml de líquido;
* Colher ou espátula de pau (para mexer)
* Pistola de cola quente

Como fazer:
* Coloque os flocos de cera na jarra de vidro e coloque no microondas por aproximadamente 3 minutos em temperatura alta. A temperatura deve chegar a cerca de 93 graus. Você pode medir a temperatura sem um termômetro, pois uma vez todos os flocos tiverem derretido, a temperatura deve ser de cerca de 82 a 93 graus.
Tenha cuidado! A jarra e a cera estarão muito quentes!

* Retire a jarra do microondas e deixe esfriar por cerca de 10 minutos.

* Adicione o óleo aromático ou óleo essencial quando a temperatura for de cerca de 71 a 82 graus. 

* Misture o óleo na cera e deixe esfriar até cerca de 43 a 48 graus (quente o suficiente para enfiar o dedo confortavelmente).

* Enquanto você está esperando a cera esfriar, coloque uma pequena gota de cola quente na parte inferior do pavio e afixe no interior da jarra de vela. 

* Adicione a sua tintura aos poucos à cera derretida neste momento. Comece com uma gota de cor e mexa. Continue colocando uma gota de cada vez até você alcançar a sua cor desejada. Mexa até cor ficar uniformemente distribuída.

* Esquente jarra de vela ligeiramente. Coloque um forno quente durante cerca de 2 ou 3 minutos. Uma jarra quente permitirá que a cera se fixe melhor às bordas, reduzindo aquilo que se chama "glacé", ou manchas brancas na vela acabada.

* Despeje a cera fria na jarra lentamente, segurando o pavio reto para cima. Encha até em cima. Você pode usar uma ferramenta de centralização do pavio ou apenas colocar alguma coisa, como uma faca ou uma régua ao lado do pavios para mantê-los centralizados até que a cera endureça, o que deverá levar cerca de 1 hora.

* Depois que a cera tiver endurecida, apare os pavios para cerca de 0,6 cm. Coloque um rótulo na sua vela - e pronto! Você pode acender sua vela imediatamente ou esperar cerca de 24 a 48 horas quando ela estará mais "curada", o que vai fazer com que ela dure mais.

* Veja outras opções de como montar suas velas:

Em conchas...

...e frutas (maracujá, tangerina, laranja)

Velas aromáticas decoradas com canela
O processo é o mesmo do anterior, mas ao invés de colocá-las em vidro, você deve usar formas ou moldes de silicone para velas. Depois de prontas, basta colocar canela em pau ao redor de toda a vela e amarrar com sisal.

Velas decoradas com canela em pau

Biscoitinhos aromáticos de Natal
(Por Espaço Flor do Cerrado)



Ingredientes:
* 2 xicaras (chá) aveia em flocos finos;
* 1 xícara (chá) de açúcar mascavo;

* 1 xícara (chá) de farinha de trigo integral;
* 1 colher (chá de fermento em pó;
* 1/2 xícara (chá) de manteiga em temperatura ambiente;
* 2 ovos;
* 2 colheres de cacau em pó (sem açúcar);
* Uvas passas, castanhas picadas ou nozes a gosto;
* Óleos essenciais (veja sugestões no final da receita).
Como fazer:
Numa tigela, junte a aveia, o açúcar, a farinha, o cacau e o fermento. Acrescente a manteiga e os ovos inteiros. Trabalhe a massa até ficar homogênea. Junte as frutas secas. Faça pequenas bolinhas e vá colocando numa assadeira, deixando espaços entre elas. Achate as bolinhas suavemente com um garfo. Leve ao forno médio (180ºC), pré-aquecido, por cerca de 25 minutos ou até começarem a dourar. Retire do forno e espere esfriar antes de retirar da forma.
Quando retirar do forno, pincele nos biscoitos os óleo essenciais* diluídos em 1 colher de óleo vegetal (palmiste, ou girassol, ou milho, ou ainda, margarina sem sal).
Rendimento: 30 biscoitinhos.

Sugestões de óleos essenciais para usar nesta receita: 
1ª sugestão: 2 gotas de o.e. de vetiver e 4 gotas de o.e. de canela
2ª sugestão: 3 gotas de o.e. de gerânio
3ª sugestão: 2 gotas de o.e. de capim-limão e 2 gotas de gengibre
4ª sugestão: 2 gotas de o.e. de laranja doce e 2 gotas de o.e. de canela
5ª sugestão: 1 gota de o.e. de cravo e 2 gotas de o.e. de mandarina


São lembranças criativas e de muito bom gosto. O melhor de tudo é que são muito cheirosos!!!
Espero que tenham gostado!
 
Fonte: http://aromasvitais.blogspot.com.br/2013/11/presentinhos-aromaticos-ideias-para-o.html?view=flipcard
Fontes
Casa, Coisas e Sabores:
Como Fazer Tudo: 
Decora.do: 
Decoração fácil: 
Espaço Flor do Cerrado:
Fan Page Aromaflora:
The Yummy Life:

Aroma Stone Healing - Aromaterapia aliada à terapia das pedras quentes.


A terapia das pedras quentes é feita através da  termoterapia, em que a condução do calor é transmitida ao corpo através de rochas plutônicas (cristalizadas lentamente no interior dos vulcões). Estas pedras foram resfriadas de forma muito lenta ao longo de milhares e milhares de anos. Assim, todo o potencial energético e bioquímico da rocha (olivina policristalina e o silicato de ferro e de magnésio) permaneceram em sua composição.  

Quando aquecidas, as pedras liberam a energia armazenada em seu interior ao longo de todos os anos de sua existência. O calor emanado das pedras é aplicado ao corpo por meio de técnicas avançadas de massoterapia alinhada a conhecimentos milenares de geoterapia e termoterapia. O resultado é um efeito penetrante sobre o sistema muscular chegando, em alguns casos, a corrigir disfunções de órgãos e vísceras. A temperatura das pedras varia de acordo com a espessura do tecido epitelial de cada pessoa. A energia que provém das pedras penetra profundamente nos músculos, permitindo a limpeza, a desobstrução e a normalização do fluxo energético, que tem nos meridianos o seu principal meio de condução do chi (energia), obtendo-se então, a homeostase  (regulação) orgânica e energética.

Os índios usam pedras quentes em seus rituais de cura e os chineses, desde antes da dinastia Shang (2000 - 1500 aC) usam-nas para aliviar músculos cansados. Há outras culturas que adotam a terapia das pedras quentes no banho, como por exemplo, os russos, que distribuem as pedras no fundo da banheira e deitam-se sobre elas com o intuito de absorver a energia proveniente das rochas aquecidas. Outro exemplo é uma ordem de monges japoneses que utiliza as pedras aquecidas no abdômen, após cada refeição. A terapia das pedras quentes é um presente da mãe natureza reservada a seus filhos para que possam restaurar o equilíbrio do corpo e também assumir o controle emocional.
Confira os efeitos da terapia das pedras quentes:
  • Controla os estados de ansiedade e tensão, promovendo relaxamento;
  • Melhoria da circulação sanguínea;
  • Aumento do tônus muscular;
  • Estimula a digestão e a respiração;
  • Melhoria na mobilidade das articulações;
  • Melhoria no fluxo da energia vital;
  • Alívio de dores na coluna vertebral e outras regiões do corpo;
  • Liberação de emoções reprimidas. 
  • Promove um controle oculto do potencial bioelétrico dos meridianos

Além de tratar o corpo físico, a terapia das pedras quentes age também no equilíbrio emocional, promovendo um contato maior com o “eu” interior, ajudando a trabalhar inclusive questões como a autoimagem e a autoestima.
INDICAÇÕES E PRECAUÇÕES
Indicações: dor muscular, tensão crônica, prisão de ventre, músculos atrofiados, stress, cólica menstrual, circulação sanguínea, gordura localizada, celulite, cansaço, angústia, depressão e obesidade.
Precauções: asma aguda, cistite aguda (sobre a bexiga), gravidez, infecções agudas, ferimentos, doenças de pele e câncer.
AROMA STONE HEALING


Os óleos essenciais podem exercer um efeito profundo não apenas no corpo físico como também nos nossos aspectos mentais, emocionais e espirituais. No caso do terapeuta decidir por aliar a aromaterapia à massagem com pedras quentes, deve-se analisar as necessidades de cada cliente para, então, elaborar a sinergia adequada. Abaixo seguem algumas sugestões de óleos essenciais que podem ser utilizados: 


Para dores musculares: Alecrim, Manjericão, Eucalipto, Gengibre, Jasmim, Junípero, Lavanda, Mandarina, Manjerona, Hortelã-pimenta e Pinho;
Para os casos de ansiedade e depressão: Lavanda, Camomila, Vetiver, Bergamota, Tangerina, Cardamomo e Limão;
Para estados de colapso emocional: Rosa, Sândalo, Lavanda e Sálvia-Esclaréia;
Para estados de rejeição: Jasmim, Grapefruit e Pimenta-do-reino;
Para melhorar a autoconfiança: Bergamota, Gerânio, Olíbano, Sândalo e Ylang-ylang;
Para melhorar a autoestima: Bergamota, Gerânio, Néroli, Olíbano e Ylang-ylang;
Para equilibrar os centros energéticos: Cedro, Manjerona, Lavanda, Camomila, Tangerina, Manjericão, Verbena, Limão, Sândalo e Melissa;
Para ativar os centros energéticos: Alecrim, Pinho, Patchouly, Hortelã, Jasmim, Ylang-ylang, Cravo, Bergamota, Eucalipto, Rosa, Vetiver, Gerânio, Cipreste.

E, por fim, nunca é demais lembrar: antes de utilizar os óleos essenciais em qualquer procedimento, verifique as contraindicações. Em caso de dúvidas, procure um aromaterapeuta!
Fonte: http://aromasvitais.blogspot.com.br/2012/05/aroma-stone-healing-aromaterapia-aliada.html?view=flipcard

Referências:
HOARE,Joanne. Guia Completo de Aromaterapia. São Paulo: Pensamento, 2010.
 

Coffea Arabica L. - Ficha Aromática e Usos!





O café é a semente do cafeeiro. Trata-se de uma pequena esfera verde, que quando atinge o estado maduro para a colheita, adquire um vermelho intenso. Cada fruto costuma possuir duas pequenas sementes semi esféricas com seus lados planos virados para si. O café é constituído majoritariamente de endosperma que contém altas quantidades de cafeína (0.8 - 2.5%), substância nomeada a partir da semente. 
A semente tem origem arábica e não foi utilizada amplamente para produzir bebidas até o século X, quando a bebida passou a se disseminar pelo oriente médio. A Europa não teve contato com a bebida em larga escala até o século XVII através do comércio no Mediterrâneo, com as cidades de Veneza e Marselha em destaque. No século XVIII cafeterias se disseminaram na Europa e o fruto ficou muito conhecido. Assim, o café assumiu também, um papel social.Com a evolução do valor da semente, o café foi levado a diversos continentes, incluindo o Brasil no século XVIII.

O óleo essencial de café é estimulante, poderoso antioxidante, ativador do metabolismo e tônico.  

Café verde x café torrado

Qual a diferença? A diferença é que o café verde não passa pelo processo de torrefação. É fato que, durante esse processo, ocorre a perda de parte de alguns compostos, no entanto, pesquisadores de Minas Gerais não encontraram uma diferença tão grande na quantidade de cafeína do café verde para o torrado: 1,61% de cafeína no grão verde  e 1,38% de cafeina no grão torrado escuro.

No café verde, a quantidade de antioxidantes chega a ser cinco vezes maior, mas tanto o café verde quanto o grão torrado contém 0,06% a 0,32% de caféina, teobromina, teofilina, taninos e flavonoides, e de 5% a até 14% de ácido clorogênico. Os compostos mais estudados no café são:

Cafeina: além de atuar como um termogênico natural, melhorando o metabolismo e favorecendo a perda de peso, também atua inibindo as adenosinas, que são as substâncias responsáveis por induzir o sono e, assim, promover um maior estado de atenção. Além disso, promove a oxidação de gorduras corporais e facilita a sua eliminação.

Ácido clorogênicopresente no café verde em concentração duas vezes maior do que a encontrada no café torrado, diminui a absorção de glicose a nível intestinal e participa no metabolismo dos açúcares inibindo a enzima glicose-6-fosfatase, que é responsável pela liberação de açúcares do fígado para a corrente sanguínea. Essa inibição mantém os níveis baixos de glicose e diminui o acúmulo de gordura, já que açúcar em excesso é transformado em gordura. Por sua ação no metabolismo da glicose o café verde também pode ser um coadjuvante no tratamento de pacientes diabéticos. O ácido clorogênico também parece agir no estado de humor das pessoas evitando a depressão, porém os mecanismos ainda não são claros. A ação antioxidante do ácido clorogênico atua no combate aos radicais livres, os vilões do envelhecimento, e protege contra as radiações ultravioleta.
Ficha técnica
Nome científico: Coffea arabica L. 
Família: Rubiaceae.
Sinônimos botânicos: só as variações. 
Outros nomes populares: cafeeiro, kaffee (alemão), café (espanhol, francês, português), coffee (inglês), caffè (italiano).
Constituintes químicos: alcalóides, inclusive os alcalóides purínicos ou xantinas (cafeína, paraxantina, teobromina, teofilina), ácidos orgânicos (ácido clorogênico, ácidos cafeico, metilúrico, vanílico, hidroxibenzoico, ferrúlico), flavonóides (caempferol, quercetol), diterpenos (cafestol, caveol), salicilatos (salicilato de metila), EDTA, ácido benzoico, derivados nicotínicos (trigonelina), óleos essenciais (ácido cinâmico, aldeído cinâmico), vitaminas (nicotinamida, ácido ascórbico, tiamina, riboflavina, caroteno), minerais (cálcio, fósforo, ferro).
Propriedades medicinais: analgésico, anti-hemorrágico, antidiarréico, antiespasmódico, antigripal, antiinflamatório, broncodilatador, cardiotônico, depurativo, desintoxicante, digestivo, diurético, estimulante, excitante, expectorante, hipoglicemiante, hipotensor, revigorante intelectual, sudorífero, tônico, vulnerário, protetor solar natural FPS 6.
Indicações: aumentar o metabolismo e a lipólise, asma, aumentar a secreção de ácido clorídrico, diabetes, baixar a glicose, bronquite, cansaço mental, cefaléias de resfriados, cólicas em geral, diarreia, dilatar os brônquios, estimulante do sistema nervoso, estimulante digestivo, fadiga, febre, pneumonia, vertigens.
Parte utilizada: sementes torradas.
Método de extração: prensagem a frio.

Contra-indicações/precauções: não deve ser utilizado por pessoas que sofrem de hipertensão, insônia, agitação psicomotora e taquicardia.


Usos e aplicações


Como estimulante físico e mental, use 1 gota de óleo essencial de café verde ou torrado no aromatizador pessoal (colarzinho) ou no difusor de ambientes. Se preferir, use grãos de café em um recipiente, coloque uma vela no centro e acenda. Em poucos minutos o ambiente estará aromatizado.


Para o tratamento dos cabelos e do couro cabeludo, pode-se usar o OE diluído em um óleo carreador. Os triacilgliceróis presentes no café estimulam a produção de ceramidas. Além disso, ainda possui compostos com ação estimulante do crescimento do folículo piloso, atuando na normalização da queda capilar e fator natural de proteção solar, protegendo as madeixas contra os raios nocivos. Sugestão de uso: em 5 ml de óleo vegetal de abacate ou jojoba, dilua 4 gotas de óleo essencial de café (verde ou torrado). Aplique em toda a extensão dos cabelos e no couro cabeludo, massageando bem. Deixe agir por 30 minutos, enxágue e lave normalmente.

No combate à celulite, a cafeína tem um papel muito importante. A cafeína é uma substância natural que juntamente com a teofilina e a teobromina formam a família das metilxantinas. A cafeína é um componente que estimula a lipólise, ou seja, a “quebra” da gordura acumulada. Apresenta um bom coeficiente de partição, o que lhe assegura uma boa penetração epidérmica graças a sua lipossolubilidade, e uma boa difusão dérmica devido a sua hidrossolubilidade. Resumindo: o creme que você aplica na pele, contendo cafeína, penetra mesmo! 
Quando se fala em celulite, o ideal é atacar em várias frentes: alimentação, exercícios físicos e tratamentos estéticos. Veja a seguir uma sugestão de creme anticelulite para você usar em casa:

88 g de creme base
5 ml de hidrolato
5 ml de óleo vegetal de amêndoas
18 gotas de OE de café
18 gotas de OE de cipreste
9 gotas de OE de mandarina verde
Use este creme duas vezes ao dia (de manhã e à noite), massageando a região afetada com movimentos circulares até total absorção. Se acompanhada de drenagem, ainda melhor! Outra sugestão é usar uma bucha vegetal durante o banho, também com movimentos circulares, para esfoliar e estimular a circulação. Importante: por conter mandarina, um óleo fotossensível, deve-se evitar exposição ao sol durante 8 horas após seu uso.

Em tratamentos faciais, use o OE de café em máscaras de argila. Seu poder antioxidante atua no combate aos radicais livres. Os triacigliceróis e ésteres diterpênicos presentes em sua composição estimulam a síntese de fibras dérmicas, resultando em um efeito regenerador, amenizando rugas e linhas finas. Também é estimulante da produção e síntese de colágeno e elastina, mantendo a pele mais firme. Por conter fator natural de proteção solar, atua potencializando o efeito do filtro solar. Sugestão de máscara:


1 colher (sopa) de argila negra
1 colher (chá) mel
3 gotas de seiva de sangue de dragão
2 gotas de OE de café torrado
Hidrolato de lavanda



Dilua o OE e a seiva no mel, acrescente a argila e por último o hidrolato, aos poucos, misturando bem até obter consistência pastosa. Aplique na pele e deixe agir por 20 minutos. Enxágue. Observação: para misturar os ingredientes, não utilize instrumentos de metal.



Espero que tenham gostado das dicas. Sugestões, críticas e opiniões são sempre bem-vindas. Lembrem-se também de verificar as contraindicações dos óleos essenciais e, em caso de dúvidas, consulte um aromaterapeuta credenciado!


Fonte: http://aromasvitais.blogspot.com.br/2014/05/coffea-arabica-l-ficha-aromatica-e-usos.html?view=flipcard
 
Referências:

Artigos científicos:
FARAH, Adriana; DONANGELO, Carmen C.- Compostos fenólicos em café. Disponível em:
ABRAHÃO, S.A; ALVARENGA, D.J.; DUARTE, S.M.S.; FERREIRA, E.B.; LIMA, A. R.; PEREIRA, G.F.A. Compostos bioativos e atividade antioxidante do café (Coffea arabica L.) Disponível em:

Sites: (todos acessados em 22/05/14)
A Nutricionista: 
Beleza Inteligente: 
Destilaria Bauru: 

Óleos Macerados - DIY



Um óleo de ervas infundido (também conhecido como óleo macerado) é um óleo carreador incutido com propriedades de ervas ou flores. Ao deixá-las infundir em um óleo por um determinado período de tempo, é possível extrair muitas das propriedades poderosas e curativas da planta em uma forma utilizável. É bastante suave e pode ser usado em bebês, crianças, idosos e pessoas de pele muito sensível.

Óleo macerado não é óleo essencial. Há alguns vídeos disponíveis na rede que ensinam a fazer óleo essencial (!), quando na verdade estão ensinando a fazer o óleo macerado. A diferença é que o óleo essencial  é uma mistura de substâncias voláteis extraídas diretamente de folhas, raízes, pétalas, caule, cascas de plantas através de diversos processos de destilação (principalmente à vapor) e são extremamente concentrados. O óleo macerado é feito a partir da infusão de ervas e /ou flores em um óleo vegetal (também conhecido como carreador) e podem ser facilmente produzidos em casa. Os óleos vegetais utilizados na infusão, são gorduras extraídas principalmente das sementes de plantas e frutas, possui consistência mais espessa que os óleos essenciais, não são voláteis e contam com alto poder de hidratação e nutrição.
Muitas ervas são adequadas para infusão, tanto aquelas com níveis elevados de óleos voláteis, quanto aquelas com componentes solúveis em gordura. Ervas como alecrim, lavanda, hortelã-pimenta, tanchagem, calêndula e confrei são excelentes para fazer óleos macerados.


Como fazer
A ideia básica é de que a planta seja imersa em um carreador de boa qualidade, tais como óleo de amêndoa, óleo de girassol, de jojoba, azeite, entre outros. Em seguida, a mistura deve ser deixada para aquecer naturalmente ao sol durante um período de 4 a 8 semanas ou, se preferir, pode aquecê-la em banho-maria por cerca de 2 horas. Este processo faz com que o óleo absorva as propriedades das plantas. Após este processo, deve-se filtrar o óleo para retirar os resíduos das plantas.



Estes óleos macerados podem ser utilizados em massagens, banhos e para fazer formulações para a pele: bálsamos, pomadas, cremes, tratamentos para os cabelos, sabonetes etc. Há inúmeras opções de ervas, flores e óleos para escolher. Sinta-se livre para fazer suas experiências!
O uso de ervas secas garante maior vida útil ao óleo macerado.
O uso de ervas frescas podem introduzir a umidade ao óleo, o que diminui sua vida útil. Portanto, se optar pelo uso de ervas frescas, certifique-se de que elas não estejam molhadas antes de acrescentá-las ao óleo.
Existem 3 receitas básicas de produzir um óleo macerado : método de infusão a frio, método de infusão ao sol e método de infusão a quente . Veja a seguir os detalhes de cada método.
Método de infusão a frio
1) Limpe e esterilize um recipiente de vidro (que deve estar completamente seco).
2) Escolha as ervas / flores de sua preferência (50 g de ervas secas ou 100 g de ervas frescas)
3) Escolha o óleo carreador de sua preferência. Coloque as ervas no vidro e despeje o óleo sobre elas, garantindo que fiquem completamente cobertas. Encha o frasco quase até a borda, deixando a menor quantidade de ar possível no recipiente (para evitar a oxidação).
4) Com cuidado, passe uma espátula em torno do frasco e em suas bordas,  para libertar quaisquer bolhas de ar.
5) Tampe e deixe em infusão por 8-10 semanas.
6) Passado esse período, coe o conteúdo, rotule o frasco com o nome da erva e a data de produção e  mantenha-o armazenado em local seco e fresco, longe da luz solar direta.


Método de infusão ao sol
Este é o método tradicional de infundir os óleos. O calor do sol vai aquecer delicadamente os óleos e auxiliar no processo de infusão.
1) Limpe e esterilize um recipiente de vidro (que deve estar completamente seco).
2) Escolha as ervas / flores de sua preferência (50 g de ervas secas ou 100g de ervas frescas)
3) Escolha o óleo carreador de sua preferência. Coloque as ervas no vidro e despeje o óleo sobre elas, garantindo que fiquem completamente cobertas. Encha o frasco quase até a borda, deixando a menor quantidade de ar possível no recipiente (para evitar a oxidação).
4) Com cuidado, passe uma espátula em torno do frasco e em suas bordas,  para libertar quaisquer bolhas de ar.
5) Tampe e deixe em infusão por 4 a 8 semanas em um balcão ou janela ensolarada e quente. Algumas pessoas optam por colocar o frasco em um saco de papel de modo a não danificar o óleo.
6) Passado esse período, coe o conteúdo, rotule o frasco com o nome da erva e a data de produção e  mantenha-o armazenado em local seco e fresco, longe da luz solar direta.

Método de infusão a quente
Esta é uma maneira muito mais rápida para infundir óleos - bom para os impacientes!
O ponto mais importante a lembrar ao criar óleos de ervas desta forma é  manter o calor o mais baixo possível, porque você não quer para 'cozinhar' as ervas. Tudo que você precisa fazer é colocar as ervas em fogo baixo ou banho-maria, cobrir com o óleo de sua escolha e aquecer suavemente as ervas sobre o fogo baixo por 2 a 6 horas. Desligue o fogo e deixe esfriar. Coe as ervas e seu óleo macerado já estará pronto para o uso.


Uma vez que os óleos são infundidos eles provavelmente terão nova cor e cheiro.
 
Os óleos macerados chegam a durar cerca de um ano, se armazenados adequadamente em local escuro e fresco. Alguns óleos são mais vulneráveis ao ranço do que outros. Há quem prefira adicionar o conteúdo de uma cápsula de vitamina E, para aumentar a vida útil do óleo.

Macerado de lavanda em óleo de coco (para pele e cabelos)
Esta é uma bela receita de um óleo macerado de coco e lavanda, que pode ser utilizado diretamente na pele ou para a preparação de produtos. O óleo de coco prensado a frio tornou-se imensamente popular nos últimos anos, por conta de suas propriedades e inúmeros benefícios para a saúde e a pele.
De acordo com a dermatologista Whitney P. Bowe, da Advanced Dermatology NY, "A combinação de antiinflamatória, antioxidante e as propriedades anti-bacterianas e hidratantes fazem dele um óleo único. O óleo de coco é composto principalmente de gorduras saturadas e contém ácidos graxos de cadeia média, que ajudam a reparar a barreira cutânea e manter a hidratação, além de reduzir processos inflamatórios."
Este óleo é indicado para a pele, mas também é excelente para utilização nos cabelos e no couro cabeludo. Devido ao seu baixo peso molecular e afinidade proteica, é capaz de penetrar profundamente na fibra do cabelo.
Como fazer: (método de infusão ao sol)
Derreta 100g de óleo de coco em banho-maria
Coloque em um frasco esterilizado e limpo, com 50g. de flores secas de lavanda
Despeje o óleo de coco previamente aquecido dentro do frasco, de modo que cubra as flores. Neste caso, certifique-se de deixar algum espaço no topo, pois as flores podem expandir.
Misture o óleo com uma espátula ou uma colher de madeira e tampe bem o frasco. Você também pode envolvê-lo uma sacola de papel, a fim de acelerar o processo de infusão.
Coloque a jarra em uma janela ensolarada para cerca de 4-8 semanas, agitando o óleo a cada dia.
Passado o período, coe o óleo e armazene-o em local seco e fresco.
Os óleos macerados também podem adquirir belas fragrâncias. Você pode adicionar, por exemplo, favas de baunilha picadas para esta infusão juntamente com a lavanda, o que irá lhe conferir um aroma “extra”, adocicado e irresistível!

Macerado de confrei (para dores musculares e nas articulações)
Você vai precisar de:
* um frasco limpo, esterilizado e seco;
* 50g de folhas secas de confrei; (ou 100g de folhas frescas)
* 100 ml de óleo vegetal de gérmen de trigo ou copaíba.
Você pode produzir este macerado com o método de sua preferência. Escolha o que lhe for mais conveniente e siga as instruções dadas anteriormente.



O confrei é rico em alantoina, um notável proliferante celular; estimulante da produção de células responsáveis pela formação de colágeno e tecido conjuntivo, cartilagens, ossos, acelerando a restauração de lesões. Excelente para ossos quebrados e fraturados. Outro componente, o ácido rosmarínico, diminui a inflamação. Reduz a dor e o inchaço da artrite, da gota, da síndrome do túnel carpo,da tendinite, de entorses e estiramentos. Na pele, promove a cicatrização de feridas e a regeneração de tecidos. Principal remédio natural para primeiros socorros, na cicatrização de feridas, cortes, contusões, escaldaduras, queimaduras de sol e úlceras, com mínima formação de cicatrizes.
 
Advertência: a erva não deve ser usada durante a gravidez.
O óleo vegetal de gérmen de trigo contém alto teor de vitamina E antioxidante. Contém também fitoesterois, vitamina A, complexo B e lecitina. Pode ser usado em massagem esportiva para trazer alívio a músculos cansados, melhora a circulação e, externamente, ajuda a aliviar os sintomas da dermatite.
Advertências: pode causar reações na pele em pessoas alérgicas a glúten, de modo que é melhor fazer um teste antes de usar. O uso regular deste óleo pode promover o crescimento de pelos.
O óleo vegetal de copaíba é rico em β-cariofileno. As moléculas de β-cariofileno atuam liberando β endorfina, que alivia a dor e age como antiinflamatório.  Os hidrocarbonetos da copaíba contém terpenos, incluindo o pineno, além de uma significativa quantidade de ácido caurenóico (tido como antiinflamatório, hipotensor, diurético, antimicrobiano, relaxante muscular e citotóxico). Muitas das propriedades da copaíba são atribuídas à ação do cariofileno e do ácido caurenóico. A copaíba é usada topicamente para aliviar a inflamação e ajudar a curar feridas, erupções cutâneas, dermatites, eczema e psoríase, além de ajudar a restaurar a pele danificada e curar pequenas cicatrizes.


Sugestões de ervas/propriedades

Analgésicas: alface-brava, camomila, erva-de-são-joão, flor-da-paixão, lúpulo, papoula da califórnia, solidéu, valeriana;

Anticatarrais: alho, alteia, eufrásia, eupatório, hidraste, hissopo, ínula, milefólio, pimenta-caiena, sabugueiro, salvia, tomilho tussilagem, uva-ursi, vara dourada, verbasco.

Antiespasmódicas: agripalma, anêmona, camomila, erva-de-são-cristóvão, solidéu, tília, tomilho, valeriana, verbena, viburno, viburno-bola-de-neve, visco-branco;

Antiinflamatórias: alcaçuz, calêndula, camomila, cúrcuma, erva-de-são-joão, olíbano, garra-do-diabo, gengibre, hamamélis.

Antimicrobianas: alcaçuz, alecrim, alho, calêndula, coentro, cravo-da-índia, equinácea, erva-de-são-joão, hortelã-pimenta, ínula, losna, mirra, pimenta-caiena, sálvia, tomilho uva-ursi.

Aromáticas: alecrim, angélica chinesa, betônica, camomila, canela, cardamomo, coentro endro, filipênula, forskohlii, funcho, gengibre, hissopo, hortelã-pimenta, salsão-selvagem, valeriana;

Diuréticas: alcachofra, astrágalo, buchu, cavalinha, folha e raiz de dente-de-leão, estigmas de milho, grama-de-ponta, raiz de cascalho, semente de salsão selvagem, shatavari, vara-dourada;

Emolientes: alcaçuz, alteia, borragem, confrei, feno-grego, ínula, morugem, olmo-americano, pétalas de rosa, tanchagem, tussilagem verbasco.

Estimulantes: alecrim, alho, angélica chinesa, árvore-de-cera, bodelha, calêndula, canela, crdamomo, dente-de-leão, freixo-espinhento, genciana, ginseng, hera-terrestre, hortelã-pimenta, losna, marroio-branco, milefólio, pimenta-caiena, raiz de cascalho, yam mexicano;

Hepáticas: agrimônia, agripalma, alcachofra, alecrim, aloe vera, aparine, azeda, dente-de-leão, esquisandra, freixo-espinhento, funcho, genciana, hidraste, hissopo, ínula, íris, kalmeg, losna, melissa, milefólio, salsão-selvagem, uva-espim, yam mexicano;

Laxantes: alcaçuz, resina de aloe vera, angélica chinesa, aparine, azeda, bardana, folha e raiz de dente-de-leão, íris, olmo-americano, sene, uva-espim;

Sedativas: agripalma, anêmona, bodelha, camomila, erva-de-são-cristóvão, erva-de-são-joão, flor-da-paixão, lúpulo, saw palmetto, solidéu, trevo-vermelho, valeriana, viburno, viburno-bola-de-neve, yam mexicano;

Tônicas: agripalma, alcaçuz, aveia-selvagem, bardana, buchu, calêndula, camomila, castanha-da-índia, confrei, framboeseira, genciana, ginseng, hidraste, hissopo, melissa, milefólio, mirra, pimenta-caiena, tomilho, trevo-vermelho, tussilagem, urtiga, verbena, visco-branco.

Fonte: http://aromasvitais.blogspot.com.br/2015/08/oleos-macerados-diy.html?view=flipcard

Referências:

McINTYRE, Anne. Guia completo de fitoterapia. São Paulo: Pensamento, 2011.
HOARE, Joanna. Guia completo de aromaterapia. São Paulo: Pensamento, 2010.
Creative Simple Life:
http://www.creativesimplelife.com

Plantas medicinais e fitoterapia:

School of Natural Skin Care:
http://www.schoolofnaturalskincare.com